• pt-br
COMO MELHORAR A PRODUTIVIDADE DE UMA OBRA EM TEMPOS DE CRISE?

COMO MELHORAR A PRODUTIVIDADE DE UMA OBRA EM TEMPOS DE CRISE?

Os problemas trazidos pela pandemia do COVID-19 têm gerado mudanças nas condições normais que geralmente tínhamos em nossas obras, e isso é algo que nos obriga a pensar em alternativas que nos permitam reativar os canteiros de obras de forma segura, cumprindo os protocolos e regulamentos que permitem preservar a saúde e minimizar os riscos de contágio.

Questões como os atrasos gerados pelas quarentenas, os horários de trabalho permitidos e o número de pessoal autorizado, obrigam que os nossos processos construtivos sejam executados de forma eficiente, evitando perdas de tempo e ganhando em produtividade.

Neste momento o setor da construção precisa de um sistema versátil, rápido e com componentes leves, conseguindo assim concretizar os projetos, definindo as possibilidades, controlando os prazos, o número de funcionários e os materiais necessários para cada uma das tarefas que devem ser realizadas diariamente. Desta forma, poderemos reduzir incertezas, diminuir riscos, minimizar imprevistos e alcançar o sucesso do projeto, dando a devida importância às questões como o distanciamento e o prazo, o autocuidado, a saúde e bem-estar dos trabalhadores da construção.

Com o sistema industrializado da Forsa, as etapas de execução das estruturas passam aser independentes, fazendo com que cada uma das etapas do ciclo construtivo possa ser realizada de forma ordenada e organizada dentro dos prazos combinados, evitando a aglomeração de pessoas e permitindo várias atividades como o controle de entrada do pessoal, a lavagem das mãos ou as pausas para alimentação ou hidratação que são realizadas de acordo com os protocolos estabelecidos.

Construção

Etapas diárias do ciclo de construção:

Operação do molde: Composto pela retirada das fôrmas, limpeza, transporte e montagem das fôrmas. Estes três processos são realizados no período da manhã, começando o mais cedo possível e terminando por volta do meio-dia. São atividades que devem ser realizadas entre 5 ou 6 horas no máximo. Para isso, é necessário distribuir os montadores de acordo com as áreas de trabalho e a quantidade de metros quadrados de Face de Contato da Fôrma a ser operada no dia a dia, levando em consideração as áreas de movimentação. (25 -30m2 CC por dia x homem)

A área de trabalho de cada montador deve ser de aproximadamente 6 m2 de área construída. Cada pessoa deve ter clareza sobre o escopo de seu trabalho e sobre sua área de trabalho atribuída, deve também definir sua possibilidade de movimentação de acordo com seus colegas de trabalho das áreas próximas, para evitar cruzamentos durante os trânsitos.

No que diz respeito à mobilidade, os corredores e os andaimes perimetrais são as principais vias de movimentação e podem se tornar as áreas mais congestioonadas. Em alguns casos e se for necessário, é preciso pensar em deixar passagens na construção, ou deixar partes como peitoris de janelas, para serem moldadas em fases posteriores, gerando espaços que permitam a passagem evitando aglomerações.

Conseguir uma distribuição adequada dos trabalhadores e definir seus espaços de mobilidade, permite manter um distanciamento de mais de 2 m entre cada montador, respeitando os tempos e evitando cruzamentos durante os trânsitos.

Exemplo:

Um apartamento de 60 m2 de área coberta, equivalente a 300m2 de face de contato, 10 pessoas distribuídas por áreas independentes, sendo importante definir os espaços de mobilidade. (Veja a imagem 1)

Trabalhos complementares:

Composto por trabalhos de montagem em aço, montagem de tubulação na laje, supervisão e lançamento. Estas tarefas são realizadas por volta do meio-dia, começando em condições ideais por volta das 12 horas e terminando antes das 14 horas (2 horas máx.). Deve-se levar em consideração que os instaladores de aço e tubos nas demais horas do dia (antes e depois do meio-dia), devem dedicar-se às suas montagens e instalações nas paredes dos apartamentos previamente concretados, abrindo frentes de trabalho para as próximas obras da operação de fôrmas, nos futuros apartamentos a serem concretados. As tarefas de supervisão e lançamento podem ser realizadas com no máximo 3 pessoas que verificam os níveis, cabos e posicionamento antes de despejar o concreto.

Exemplo:

Um apartamento de 60 m2, requer 5 armadores de aço (aprox.), 2 hidráulicos e 2 elétricos. Para essas atividades de preparação, as tarefas podem ser intercaladas, utilização de materiais pré-organizados, se possível, contar com equipamentos de içamento como guindaste de torre, se estiverem no local, a fim de reduzir o tempo, evitando aglomerações. (Ver tabela 1)

Finalização:

Nesta fase ocorre à concretagem e posterior cura e acabamento do concreto. O rápido derramamento da mistura depende da quantidade ou volume a ser colocado, do sistema de instalação a ser utilizado, da fluidez do concreto, da frequência e da continuidade do bombeamento. A concretagem requer no mínimo 4 pessoas, considerando o pessoal adicional para ligação dos tubos, caso a concretagem seja feita com bomba estacionária. Para o trabalho de acabamento deve-se levar em consideração um desempenho de 25-30m2 / hora x Homem.

.

ForsaUser

Autor Desde: 29 / Mar / 2017
Icon Contact Precisa de ajuda?Contacte-nos agora!